Últimas

Temer é o 6º ex-presidente preso pelas delações da Lava Jato



A prisão do ex-presidente da República, Michel Temer (MDB), surpreendeu o país mesmo sendo esperada por quem acompanha os bastidores da política.

Temer entra para a lista dos ex-presidentes que foram presos na América do Sul em virtude das investigações da Operação Lava Jato. Ele é o sexto.

Além dele, foram atingidos pela Lava Jato: Ollanta Humala e Alejandro Toledo, ambos do Peru; Ricardo Martinelli, do Panamá; Maurício Funes, de El Salvador; e Luiz Inácio Lula da Silva. 

Ollanta Humala foi o primeiro a ser preso a partir dos desdobramentos das delações da Odebrecht. Ele teria recebido algo próximo de 12 milhões de reais não declarados na campanha eleitoral de 2006 no Perú.

A construtora confessou o pagamento do equivalente a 110 milhões de reais em propina no país entre 2005 e 2014.

Alejandro Toledo antecedeu Humala no governo do Perú. Ele é acusado do recebimento de quase 80 milhões de reais para garantir que a Odebrecht construísse uma estrada ligando o Brasil ao Perú. Chegou a fugir para os Estados Unidos, mas foi preso na última segunda-feira (18).
 

 

Ainda em 2017 Ricardo Martinelli foi preso em Miami (EUA) e deportado para a penitenciária El Renacer, no Panamá. Estima-se que ele teria superfaturado em contratos para a compra de alimentos desidratados e contratos com a Odebrecht em, mais ou menos, 160 milhões de reais.

Maurício Funes foi preso ano passado com mais 30 aliados, inclusive dois filhos. Sua prisão é fruto da delação do marqueteiro João Santana, que disse ter recebido da Odebrecht para fazer a campanha de Funes.

Curiosamente, a esposa de Funes, Vanda Pignato, brasileira e, acreditem, filiada ao Partido dos Trabalhadores – PT, também foi presa em El Salvador sob as mesmas acusações do marido.
João Santana entrou na campanha de Funes a pedido de ninguém menos que Luiz Inácio Lula da Silva.

Lula está preso em Curitiba-PR há quase 1 ano. Já teve duas condenações que somam 24 anos e 7 meses de prisão. O Ministério Público Federal acusa-o de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Ontem (21), Michel Temer, que deixou a presidência há menos de 3 meses, foi preso por ter uma de suas empresas (em nome de um laranja) no quadro societário da AF Consult do Brasil, que firmou um contrato de 162 milhões com a Eletronuclear para a construção da usina Angra 3.

A prisão de Temer é preventiva. 

Da Redação com MBL News


Nenhum comentário