Últimas

JOÃO FRUTUOSO: Memórias da Tragédia



Memórias da Tragédia
João Frutuoso

Hoje foi a primeira vez que
escrevi um texto chorando.

Sou livre para chorar
E livre para rimar
Livre para expor
Parte de uma dor.

Hoje cedo eu acordei
Com um trava no coração
Lembrei das notícias
Passadas na televisão
Quantas percas inexplicáveis
Tornando luto na nação
Vendo todos acontecimentos
Entrego meus sentimentos
A pai, mãe, amigo e irmão.

Quantos sonhos foram embora?
Quantas famílias desesperadas?
Quantos guerreiros dando a vida
Durante o dia, noite ou madrugada?
Quantas famílias esperançosas
Aguardando no meio do nada?
Os sonhos desapareceram
Dentro de segundos morreram
Deixando vidas despedaçadas.

Quantas lágrimas foram derramadas?
Quantos gritos foram bramados?
Quantos soldado se arriscaram
Junto a lamas e pregos enferrujados?
Quantos surgiram voluntariados
Em prantos e desesperados
Buscando no meio do escuro
Pessoas que desafiavam o impuro
Já sem forças, porém desbravados.

Quantas mães se separaram
Sem seu filho poder beijar?
Quantos pais se afogaram
Sem no mínimo poder gritar?
Quantos filhos perderam pais
Sem no mínimo poder abraçar?
Que dor vem ao meu coração
Pois sinto a dor do meu irmão
Que do nada, viu tudo se acabar.

*Foto: Douglas Magno/AFP




Um comentário:

  1. Meu amigo Eldes,te agradeço por este Blogger maravilhoso, muitas informações contidianas importantissimas. Te agradeço muito por esta oportunidade de postar meus textos. Conte comigo!

    ResponderExcluir