Últimas

Gaeco revela porque os Ribeiros romperam com Márcia Lucena

Dr. Temístocles Filho, ex-vice-prefeito de Conde.


Trechos de uma conversa entre Daniel Gomes e Ricardo Coutinho, ex-governador da Paraíba, mostram um fato que até hoje só se comentava nos bastidores, o motivo do rompimento em 2017 do vice-prefeito Dr. Temístocles Filho com Márcia Lucena (PSB), prefeita presa ontem (17) pela Operação Calvário do GAECO.

Em determinado momento Daniel diz a Ricardo:
“...no início não ‘tava’ andando lá, aí saiu a secretária de saúde ‘num’ sei o quê, aí assumiu uma outra lá e a Márcia chamou, fazendo uma reunião com o Sérgio (diretor financeiro da LIFESA).


Para lembrar o caso, a secretária de saúde do Conde era Luciana Ribeiro, esposa do ex-vice prefeito Temístocles Filho. Comenta-se nos bastidores que Dr. Téo (como o ex-vice-prefeito é conhecido) era contra a entrada do esquema da Cruz Vermelha na gestão de Saúde do Conde e que por esta razão sua esposa entregou o cargo. Em seu lugar entrou a advogada e amiga de Márcia Lucena, Renata Domingos.

Em outro trecho das conversas Daniel fala com Ricardo:
Ricardo: “O laboratório, eu peguei o LIFESA”.
Daniel: “O senhor pegou pesado lá, deu... sexta-feira uma reunião, praticamente alinharam pra assinar o contrato na outra semana”.

Trecho da conversa entre Ricardo e Daniel constante no mandato de prisão

Após ver a resistência do vice-prefeito em aceitar a entrada do esquema da Cruz Vermelha na gestão de Saúde do Conde, Ricardo “pegou pesado” e Márcia aceitou o contrato de 738 mil reais para compra de medicamentos com a LIFESA. Mais uma vez o vice-prefeito não concordou com esse esquema e então rompeu definitivamente com Márcia Lucena.

Na época Dr. Téo emitiu nota dizendo: “É com imensa tristeza e decepção que comunico a vocês meu afastamento oficial dessa estrutura de gestão da qual tentei contribuir nesses últimos 9 meses. Dediquei-me, fiz questão de tentar participar ativamente, mas os rumos foram distorcidos daquilo que foi prometido em campanha”.


LEIA TAMBÉM EM O ESTADO PB:

No mandato de prisão contra Márcia Lucena, o desembargador Ricardo Vital cita trecho da narrativa do GAECO sobre o caso, afirmando que: “Em decorrência da ruptura política entre a prefeita Márcia Lucena e o vice-prefeito Temístocles Filho, do pedido da chefe do executivo (MÁRCIA LUCENA) no sentido de suspender o processo de implantação do “projeto” até o início de 2019...”

Em provável retaliação, Dr. Téo foi demitido do Hospital de Trauma Senador Humberto Lucena um dia após este rompimento, sem justa causa. Em setembro de 2019, alegando perseguição de Márcia Lucena, renunciou ao mandato de vice-prefeito de Conde.

ENTENDA A PRISÃO DE MÁRCIA LUCENA


Da Redação

Nenhum comentário