Notícias

Márcia Lucena cobrava propina de 15% nos contratos da Secretaria de Educação, acusa o Ministério Público

Prefeita de Conde, Márcia Lucena
 Por Eudes Santiago 

Márcia Lucena (PSB), prefeita de Conde, no Litoral Sul, saiu da condição de investigada e passou a ser efetivamente denunciada pelo Ministério Público no Tribunal de Justiça junto com outros 34 acusados de integrar a Organização Criminosa (quadrilha) que, segundo o MP, é chefiada por Ricardo Coutinho.

Uma das acusações que pesam sobre ela é a de cobrar propina de 15% aos prestadores de serviço da Secretaria de Educação do Estado, junto com Ricardo, enquanto era gestora da pasta. 


A denúncia feita por 8 promotores de justiça, pelo Subprocurador Geral de Justiça e pelo Dr. Francisco Seráphico, Procurador-Geral de Justiça do Estado da Paraíba, aponta que Ivan Burity (delator da Calvário) articulava contratos fraudulentos para que a propina fosse para a Orcrim, mas que ele não era o único a "fechar negócio" com as empresas.

A fornecedora de materiais didáticos Inteligência Relacional Eirelli, por exemplo, foi trazida pela própria então secretária Márcia Lucena em um acordo onde a propina começaria por 15% do valor total do contrato e subiria o percentual para 25% nos contratos seguintes. "Nesse caso específico, o ajuste foi acertado pelo próprio ex-governador (Ricardo Coutinho) e pela denunciada MÁRCIA LUCENA", acusa o MP.


Denúncia do MP: Trecho da página 61

LEIA TAMBÉM EM O ESTADO PB:

Márcia deixou a Secretaria de Estado para concorrer a prefeitura de Conde para, segundo o Ministério Público, expandir as operações fraudulentas da Organização Criminosa pra cidade litorânea face ao seu potencial de retorno.



Nenhum comentário