Últimas

DO PETROLÃO PARA CONDE: Prefeita contrata ex-assessora de Graça Foster e de Humberto Costa


Márcia Lucena e a jornalista Anamaria Rossi
 Por Eudes Santiago 

Após ser abandonada por Walter Galvão, que acumulava as funções de Secretário de Comunicação e Chefe de Gabinete, um dia antes da sua prisão, a prefeita de Conde finalmente contratou substitutos para as vagas. Márcia Lucena (PSB) nomeou a jornalista Anamaria Rossi para comunicação nesta terça (04) e o policial militar Aleksandro Pessoa para chefia de seu gabinete no Diário desta quarta (05).
Publicação da nomeação de Anamaria

Populares criticam-na por outra vez priorizar profissionais que não pertencem ao município, mas Márcia preferiu recorrer a experiência de Anamaria em prestar assessoria de comunicação para políticos sob investigação, assim como ela que recentemente foi denunciada pelo GAECO e que está em liberdade por força de uma decisão questionada pela PGR.

LEIA TAMBÉM EM O ESTADO PB:

Especialista em jornalismo investigativo, Anamaria participou, nos bastidores, do governo Dilma Roussef, assessorou Graça Foster, pessoa de confiança de Dilma, e o senador petista Humberto Costa. São 16 anos de vivência nas coxias da política petista em Brasília, segundo o próprio perfil da jornalista no Linkedin.

"ROMBO" DE 88 BILHÕES
Ex-presidente da Petrobras denunciada por manipulação de preços de combustíveis e consequente prejuízo bilionário à Petrobrás, Graça Foster foi assessorada por Anamaria enquanto presidente da Petrobrás. Segundo os Procuradores da República Claudio Gheventer, Gino Augusto de Oliveira Liccione, André Bueno da Silveira e Bruno José Silva Nunes, o prejuízo deixado por ela não foi pequeno: “estima-se que essa política de retenção de preços causou um prejuízo de dezenas de bilhões de reais, sendo, junto com as perdas sofridas em razão da corrupção que assolou a companhia, desvendada pela Operação Lava Jato, uma das causas da grave crise financeira enfrentada pela Petrobras”.
 
Há 6 meses Graça foi o alvo da Operação Pentiti (a 64ª fase da Lava Jato) baseada na delação do colega Antônio Palocci, ex-ministro dos governos Lula e Dilma, e em e-mails de Marcelo Odebrecht, que apurava um prejuízo de quase 6 bilhões de reais à Petrobrás com indícios de participação da então chefe da secretária de comunicação de Conde.

Palocci delatou que a nomeação de Graça na presidência da Petrobras, “por ser pessoa de confiança de Dilma, teria por objetivo direcionar eventuais cobranças por recursos das empresas contratadas para os interesses gerais do PT”

LEIA TAMBÉM EM O ESTADO PB:

Na gestão Graça o valor de mercado da Petrobrás caiu de 330 bilhões para apenas 110 bilhões. Fora isso, ela deixou a Estatal com um “rombo” de 88 bilhões.

“DRÁCULA”
Ministro da Saúde a época da “máfia das sanguessugas” e senador desde 2011, Humberto Costa (PT), outro chefe de Anamaria, é acusado de corrupção ativa, corrupção passiva, corrupção praticada contra a administração pública e lavagem de dinheiro. A Procuradoria Geral da República – PGR – acusa-o de ter recebido meio milhão de reais desviado de um contrato superfaturado da Petrobrás.

Documentos apreendidos na 23ª fase da Lava Jato trouxeram à luz a lista dos “beneficiados” pela Odebrecht, que usava codinomes para identificar a quem a propina era passada. Benedicto Júnior, diretor do "departamento da propina" da Odebrecht, esclareceu em delação que os apelidos eram usados para que os funcionários do “baixo clero” não ficassem sabendo para quem ia o dinheiro. Humberto Costa consta na lista com o codinome “Drácula”.

LEIA TAMBÉM EM O ESTADO PB:
A penúltima empresa gerida por Anamaria é especializada em garantir criar e manter uma boa reputação para entidades do setor público ou privado. Ela conseguirá tal façanha com sua nova chefe?




Nenhum comentário