Notícias

"Não queremos a abertura indiscriminada", diz presidente da APEC sobre restrições às igrejas

 

 Por  Eudes Santiago 

A essencialidade dos serviços religiosos em igrejas e templos tem dividido opiniões inclusive entre evangélicos e católicos. Câmaras e Assembleias de todo o país têm colocado o assunto em pauta e entendido que igreja é serviço essencial e que, portanto, não pode ser fechada.

Esse é o entendimento do vereador condense, Daniel Júnior (Cidadania), e da Associação de Pastores da cidade de Conde, no Litoral Sul Paraibano. "No atual cenário de pandemia do Coronavirus (COVID-19), as igrejas e templos não só tem desempenhado sua principal função de apoio espiritual às pessoas, como também tem promovido significativas ações de apoio social aos que mais precisam", diz o vereador.


Em entrevista para o jornalista Eugênio Falcão, no Café com Notícia da TV Master, Daniel e o Pr. José dos Santos, presidente da Associação de Pastores Evangélicos de Conde, defenderam a abertura das igrejas sob a responsabilidade de que todas as medidas sanitárias sejam rigorosamente cumpridas, inclusive no quesito da proporcionalidade da lotação do templo.

"O governador precisa ouvir as igrejas. Se não houver esse diálogo vamos ficar tentando resolver o mesmo problema em dois lados e não resolver nada", pontuou Pr. José. "Nós somos parceiros, não queremos a abertura indiscriminada das igrejas. Cumprimos os protocolos desde os primeiros Decretos da pandemia", finalizou.

Um Projeto de Lei de autoria do vereador, pedindo que o município reconheça a essencialidade da igreja, será votado em sessão fechada na Câmara de Conde na próxima (08).


Nenhum comentário